| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Imbu Brasil
Desde: 03/04/2001      Publicadas: 27      Atualização: 12/05/2012

Capa |  Artigos  |  Artigos publicados


 Artigos publicados

  01/10/2005
  0 comentário(s)


A frutificação do imbuzeiro na região semi-árida de Pernambuco

RESUMO





O imbuzeiro é uma fruteira nativa das caatingas nordestinas de grande importância para as populações rurais e animais silvestres da região. Contudo, sua frutificação ocorre no período de julho a dezembro, normalmente de seca. Neste período o imbuzeiro perde as folhas, entra em dormência vegetativa, inicia a brotação, a floração e no final de novembro já têm frutos maduros. Este trabalho teve como objetivo fazer o acompanhamento da fenologia reprodutiva do imbuzeiro na região semi-árida de Pernambuco, nas safras de 1999 a 2002. Os resultados obtidos demonstram que a fenologia reprodutiva do imbuzeiro na região do sertão de Pernambuco ocorre no período mais seco e na ausência de precipitações. As fases fenológicas em cada plantam apresenta diferenças significativas entre si, em cada fase do ciclo reprodutivo.

A frutificação do imbuzeiro na região semi-árida de Pernambuco
INTRODUÇÃO






A frutificação do imbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda) ocorre na região semi-árida do Nordeste, no período de julho a dezembro, normalmente de seca. O imbuzeiro perde as folhas logo após as chuvas, para diminuir a transpiração e entra em estado de dormência vegetativa no começo da estação seca. Nesse período as modificações que ocorrem no clima, na temperatura e na umidade relativa do ar, induzem o imbuzeiro a iniciar sua brotação, floração e frutificação (MENDES,1990).


Informações sobre as épocas de brotação, floração e frutificação do imbuzeiro são encontradas em PIRES (1990). Esse autor mostra períodos diferenciados para o início da brotação, floração e frutificação do imbuzeiro nas regiões onde fizeram as observações.


O objetivo deste trabalho foi fazer o acompanhamento da fenologia reprodutiva do imbuzeiro na região semi-árida de Pernambuco, nas safras de 1999 a 2002.





MATERIAL E MÉTODOS








Este trabalho foi realizado na região semi-árida de Pernambuco nas safras do imbuzeiro de 1999 a 2002, no Campo Experimental da Caatinga, Embrapa Semi-Árido, com 12 plantas de imbuzeiro escolhidas ao acaso em uma área, localizada a 9° 24" 38" de latitude Sul e 40° 29" 56" de longitude Oeste, a uma altitude de 377 m, com temperatura média anual de 26°C, umidade relativa do ar média anual de 60% e precipitação média anual de 391,5 mm. Antes do início da brotação e floração foram escolhidos ao acaso, em 392 ramos de diferentes partes da copa, para acompanhamento da fenologia de cada planta, desde a emissão do primórdio do botão floral, a abertura da flor e início da frutificação até a maturação plena dos frutos. Em cada ramo foi colocada uma etiqueta onde foi anotada a data de ocorrência de cada fase fenológica. As variáveis analisadas foram: a) período de queda de folhas; b) período de emissão do primórdio do botão floral; c) início da formação do botão floral; d) início da abertura das flores; e) início da frutificação e; f) período em que o fruto alcançou a maturação plena. Os resultados obtidos foram submetidas à análise estatística para determinação das médias, desvios-padrão e coeficiente de variação (SAS,1990).








RESULTADOS E DISCUSSÃO








A fenologia reprodutiva do imbuzeiro na safra de 1999 teve início com a queda total das folhas em algumas plantas entre os dias 06 de julho a 28 de agosto. A primeira planta a perder todas as folhas foi a de número 4 em 06 de julho de 1999. Em 2001 e 2002, as plantas apresentaram comportamentos fenológicos similares aos anos de 1999 e 2000, embora tenha ocorrido diferença significativa nas ocorrências climáticas nos anos de observação.


Na safra de 1999 o início da brotação ocorreu em 19 de agosto na planta de número 4. Essa mesma tendência ocorreu na safra de 2001 e 2002.


O período médio entre a marcação do botão floral e a abertura das flores foi de 6,41 dias, variando entre cinco e sete dias na safra de 1999 e de 6,58 dias em 2000, com uma variação de cinco a oito dias. A primeira ocorrência de abertura de flor em 1999 foi observada na planta de número 4 no dia 22 de agosto e a última no dia 10 de outubro na planta de número 1. Essa mesma tendência foi observada nas safras de 2000, 2001 e 2002. Este período de floração diferencia-se do ocorrido em outras regiões, relatadas por BARBOSA et al. (1989) e MENDES (1990).


O início da frutificação nos anos analisados ocorreu entre os meses de setembro e outubro. Vale ressaltar que em 2000, 2001 e 2002, as ocorrências pluviométricas no período de frutificação foram muito baixas com exceção em 1999 quando choveu 38,4 mm no mês de setembro. O período médio entre a abertura das flores e o início da frutificação foi de 10,25 dias em 1999, com variação de 9 a 12 dias.


Quanto à maturação dos frutos, o período médio entre o início da frutificação e a maturação plena do fruto em 1999 foi de 125,41 dias, com desvio-padrão de 8,01 e coeficiente de variação de 6,39%. Este período de maturação dos frutos diferencia-se do encontrado por SILVA et al. (1991), que foi de 90 dias. As variações no período de maturação dos frutos confirmam os resultados obtidos por PEDROSA et al. (1989), que colheram frutos maduros em 22 plantas de imbuzeiro nos Estados de Pernambuco e Paraíba, no período de fevereiro a abril.








CONCLUSÕES








A fenologia reprodutiva do imbuzeiro na região do sertão de Pernambuco ocorre no período mais seco e na ausência de precipitações.


As fases fenológicas em cada plantam apresenta diferenças significativas entre si, em cada fase do ciclo reprodutivo.


O período médio entre o início da frutificação e a maturação plena dos frutos é de 125 dias. A planta considerada a mais precoce apresentou frutos maduros aos 117 dias após o início da frutificação.








REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS








BARBOSA, D. C. A.; ALVES. J. L. A.; PRAZERES, S. M. & PAIVA, A. M. A. Dados fenológicos de 10 espécies arbóreas de uma área de caatinga (Alagoinha - PE). Acta Bot. Bras. 3: 109 -17, 1989.


BARBOSA, I. S.; MENDONÇA, R. M. N.; SILVA, H. & SILVA, A. Q. Estudo pomológico de plantas de imbu de diferentes regiões da Paraíba. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 10, Fortaleza, CE, 1989. Anais... Fortaleza, Sociedade Brasileira de Fruticultura, 1989. p. 506.


EMBRAPA. Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Semi-Árido (Petrolina-PE). Relatório de Pesquisa do Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Semi-Árido, CPATSA, 1979-1990. Petrolina, PE, 1993. 175p.


MENDES, B. V. Imbuzeiro (Spondias tuberosa Arr. Cam.): importante fruteira do semi-árido. Mossoró, ESAM, 1990. 66p. (Coleção Mossoroense, Série C - v. 554).


OLIVEIRA, J. G. B.; QUESADO, A. L. C.; NUNES, E. P. & VIANA, F. A. Observações preliminares da fenologia de plantas da caatinga na estação ecológica de Aiuaba, Ceará. Mossoró, ESAM. 1988, 538p. (Coleção Mossoroense, Série B).


PEDROSA, A. C.; GONZAGA NETO, L. LEDERMAN, I. E.; BEZERRA, J. E. F. & DANTAS, A. P. Características físico-químicas de frutos de 22 matrizes de imbuzeiros (Spondias tuberosa Arr. Cam.) provenientes de Pernambuco e da Paraíba. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 10, Fortaleza, CE, 1989. Anais... Fortaleza, Sociedade Brasileira de Fruticultura, 1989. 506 p.


PIRES, M. G. M. Estudo taxonômico e área de ocorrência de Spondias tuberosa Arr. Cam. (imbuzeiro) no Estado de Pernambuco - Brasil. Recife, UFRPE, 1990. 290 p. (Tese de mestrado).


SAS INSTITUTE. SAS Guide to macro processing: version 6. 2. ed. Cary, NC, SAS Institute Inc., 1990. p. 319.


SILVA, A. Q.; SILVA, H. & OLIVEIRA, B. E. M. Acúmulo de NPK durante crescimento e maturação de frutos de imbuzeiro (Spondias tuberosa Arr. Cam.). Rev. Bras. Frutic., 13: 259-63, 1991.


  Mais notícias da seção Artigos no caderno Artigos publicados
27/10/2005 - Artigos - Alimentação dos animais na seca
Resumo Na região semi-árida do Nordeste as irregularidades das chuvas têm contribuído para que os sistemas de exploração dos pequenos agricultores não alcancem resultados satisfatórios com implicações severas para as condições de renda e, conseqüentemente, de vida, desses agricultores. O rebanho de caprinos, predominante na região, vive em ...
28/10/2005 - Artigos - Uso da túbera do imbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda) para o consumo humano
RESUMO Este trabalho teve como objetivo produzir e testar à aceitação de três formas de picles do xilopódio do imbuzeiro, obtidos de plantas aos 120 dias de crescimento visando à possibilidade do seu aproveitamento como alternativa alimentar e fonte de complementação da renda dos pequenos agricultores da região semi-árida do Nordeste. O trabalho f...
27/10/2005 - Artigos - Consumo de folhas de imbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda) por caprinos no semi-árido de Pernambuco
RESUMO Para avaliar o consumo de folhas do imbuzeiro por caprinos e ovinos, foram selecionadas 25 plantas em uma área submetida a pastejo contínuo. Foi determinada a área foliar total e a porção consumida pelos animais no período de outubro a julho de 1999 a 2000. Nas folhas verdes, o percentual de matéria seca (MS) foi de 16,13% e 18,07% de ...
27/10/2005 - Artigos - A colheita de frutos do imbuzeiro na região semi-árida do Nordeste
RESUMO A agricultura familiar da região semi-árida do Nordeste brasileiro tem sua sustentabilidade na exploração de culturas de subsistência (milho, feijão e mandioca) e, principalmente na criação extensiva de caprinos e ovinos. Os pequenos agricultores desta região convivem com uma situação bastante peculiar quanto às fontes de ren...
27/10/2005 - Artigos - Crescimento e sobrevivência de plantas de imbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda) na caatinga
RESUMOO imbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda) é uma planta adaptada as condições da região semi-árida do Nordeste, de grande importância socioeconômica. É uma espécie frutífera pouco cultivada, porém com grande potencial para produção em escala comercial. Seu fruto é consumido, na maior parte, in natura e transformado em polpa, doces, geléias, etc. ...
27/10/2005 - Artigos - Emergência e sobrevivência de plântulas de imbuzeiro ( Spondias tuberosa ARRUDA) na caatinga
RESUMOA região semi-árida do Nordeste tem como característica principal, a escassez de recursos naturais, com destaque para a água. Contudo, algumas plantas, entre estas, o imbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda) conseguem sobreviver e produzir, mesmo nas mas adversas áreas da região. Os frutos e sementes do imbuzeiro são fontes de alimento para os h...



Capa |  Artigos  |  Artigos publicados
Busca em

  
27 Notícias